Make your own free website on Tripod.com
   

SERVIÇOS BÁSICOS

A medida em que as redes de computadores crescem e que o volume armazenado de informações aumenta, são desenvolvidas novas e engenhosas ferramentas, visando facilitar a localização e o acesso às informações disponíveis. O uso desses recursos para a captura das informações ganhou até denominação própria: "navegando" na Internet. A idéia é visitar computadores do mundo inteiro e, com auxílio das ferramentas aqui apresentadas, ter acesso à imensa gama de informações disponíveis.

Execução Remota (telnet), correio eletrônico e transferência de arquivos (FTP) compõem a tríade de serviços básicos da Internet. Contudo, a utilização desses serviços de comunicação pressupõe o acesso a um computador que esteja conectado à Rede.

Esses serviços básicos diferenciam-se das ferramentas de busca de informações pela filosofia de uso: em se tratando de serviços, o usuário deve conhecer previamente a localização da informação, enquanto ferramentas de navegação são exatamente mecanismos para localizar informações.

  • 8.1 Correio Eletrônico É o serviço básico de comunicação em rede. Também conhecido como E-mail, ou simplesmente mail, o correio eletrônico permite que usuários troquem mensagens via computador, usando um endereço eletrônico como referência para localização do destinatário da mensagem. Assim, este serviço permite a comunicação entre pessoas com interesses comuns, consulta a especialistas, apoio a usuários de produtos comerciais e muito mais.

    Mas não devemos pensar no correio eletrônico apenas como troca de mensagens entre duas pessoas. Existe a possibilidade de distribuição da mesma mensagem para uma lista de endereços. Isto permite a existência de listas de discussão (veja adiante) e de publicações eletrônicas.

    Uma outra possibilidade é a troca de mensagens entre uma pessoa e um computador (ou "servidor de correio eletrônico"). Com isso, um usuário pode executar comandos em máquinas remotas, assim como um computador pode responder automaticamente a um grande número de usuários. Alguém que disponha somente de correio eletrônico pode, através deste artifício, obter acesso aos demais serviços básicos e ferramentas.

    Embora a grande maioria das mensagens trocadas via rede seja constituída por informação puramente textual, o correio também pode transmitir outros tipos de informação, tais como SODS e imagens, desde que devidamente codificadas.

    • 8.1.1. Dicionário de "Carinhas" A comunicação por correio eletrônico é essencialmente baseada em texto escrito. Não permite transmitir o estado de espírito dos interlocutores. Não é, portanto, rara a má interpretação de frases escritas por brincadeira. Uma forma de contornar esta limitação é o uso de combinações de caracteres "rascunhando" um ícone e que, como a expressão facial num contato pessoal, exprimem o humor do remetente. Estão listadas abaixo algumas das convenções de comunicação em redes. Para vê-las, incline sua cabeça 90 graus para a esquerda e use sua imaginação:

      :-) Cara básica. Esta carinha é usada para modular uma declaração jocosa ou sarcástica, a depender do contexto. Na maioria das vezes, significa que a intenção do autor é bem humorada.

      ;-) Piscada de olho. O usuário acabou de fazer uma observação sarcástica e/ou flertou com a pessoa, sugerindo cumplicidade. Tem o sentido de "não me bata pelo que acabei de dizer".

      :-( Cara carrancuda. O usuário não gostou da última observação ou está triste ou deprimido por algum motivo.

      :-| Cara de indiferente, de não-entendimento, de alienação com o assunto. Melhor do que a cara carrancuda, mas não tão boa quanto uma cara feliz.

      :-> Usuário acaba de fazer uma observação realmente sarcástica.

      >:-> Usuário acaba de fazer uma observação realmente diabólica.

      >;-> Piscada de olho e diabólica combinadas. Uma observação muito obscena acaba de ser feita.

      8.1.2 Listas de Discussão É um serviço que permite o intercambio de mensagens entre vários usuários. Funciona como uma extensão do correio eletrônico, explorando uma facilidade conhecida como alias (um endereço fictício contendo uma lista de endereços eletrônicos). Usando esse recurso, qualquer mensagem enviada para o endereço alias é, automaticamente, reenviada para todos os endereços constantes da lista associada.

      As listas de discussão ou conferências eletrônicas, como também são conhecidas, são comumente usadas como meio de comunicação entre membros de um projeto ou entre pessoas interessadas em discutir temas específicos, podendo ser abertas ou fechadas quanto à participação de novos membros. Quando abertas, a inscrição de um novo membro na lista é feita através de um pedido de subscrição enviado pelo interessado. O endereço para envio da subscrição é diferente do endereço da lista.

      8.1.3 Netnews (USENET) É um serviço de difusão e intercambio de mensagens trocadas entre usuários da rede sobre assuntos específicos. O Netnews ou USENET news, ou simplesmente news provê um serviço semelhante ao das listas de discussão, porém com maior abrangência e facilidade de participação, além de ser operado de forma diferente do serviço de listas.

      Ao contrário das listas de discussão, em que as mensagens são enviadas para cada membro da lista, as mensagens são enviadas para um determinado computador da rede e de lá são reenviadas, em bloco, para os computadores que aceitam esse serviço. As mensagens podem então ser lidas por qualquer usuário desses computadores, sem necessidade de subscrever ao serviço, bastando ter acesso a um programa específico para leitura de news.

      As mensagens do netnews são classificadas em categorias chamadas newsgroups que, por sua vez, são organizados grandes grupos hierárquicos, tais como: alt (alternativos), comp (computadores) misc (miscelânea) news rec (recreacional), sci (ciência) soc (social), entre outros.

      Os recursos básicos oferecidos pelos programas de leitura de news incluem: seleção de newsgroups preferenciais, leitura de mensagens (com marcação de mensagens não lidas), trilhas de discussão (para refazer a seqüência de uma discussão), postagem de mensagens (para um dado newsgroup ou para o autor de uma dada mensagem).

    8.2 Execução Remota (Telnet) E um serviço que permite ao usuário conectar- se a um computador remoto interligado à rede. Uma vez feita a conexão, o usuário pode executar comandos e usar recursos do computador remoto como se estivesse lá. Ou seja, ao contrário dos serviços de correio eletrônico e de transferência de arquivos, telnet permite ao usuário estabelecer uma comunicação direta e em "tempo real" com o computador acessado remotamente.

    Telnet é o serviço mais comum para acesso a bases de dados (inclusive comerciais) e a serviços de informação. A depender do tipo de recurso acessado, uma senha pode ser requerida. Eventualmente, o acesso a determinadas informações de caráter restrito ou disponíveis somente em caráter comercial pode ser negado a um usuário do serviço que não atenda aos requisitos determinados pelo detentor da informação.

    Telnet também possibilita o acesso a clientes. Muitas ferramentas necessitam de programas específicos (news WASS Archie, Gopher, Verônica) que precisam estar instalados no computador ligado diretamente à rede. Usuários com acesso direto podem fazer isto facilmente, mas aqueles que dependem de acesso discado a um computador de grande porte (mainframe) não tem controle sobre as ferramentas ali disponíveis. Através do telnet pode-se então usar clientes públicos (veja adiante) ou instalados em outros computadores onde o usuário tenha "conta".

    8.3 Transferência de Arquivos (FTP) É o serviço básico de transferência de arquivos na rede. É conhecido no jargão Internet como FTP, acrônimo de File Transfer Protocol. Usando FTP, um usuário da rede pode carregar (upload) arquivos de seu computador para um outro ou descarregar (download) arquivos de um dado computador para o seu. Para tanto, o usuário deve ter permissão de acesso ao computador remoto.

    Um serviço especial de FTP, conhecido como FTP anônimo (anonymous FTP), permite que um usuário remoto "puxe" arquivos do computador em que o serviço está instalado, sem necessidade de obter permissão de acesso a ele. Para evitar acesso indevido aos arquivos de uso local do computador remoto, os arquivos disponíveis via FTP anônimo são armazenados em área separada daqueles.

    FTP é geralmente usado para transferência de arquivos contendo programas (software) e documentos. Não há, contudo, qualquer limitação quanto ao tipo de informação que pode ser transferida. Vale ressaltar que esse serviço pressupõe que o usuário conheça a localização eletrônica do documento desejado, ou seja, o endereço do computador remoto e os nomes do diretório e do arquivo que contém o documento. Quando a localização não é conhecida, o usuário pode usar o archie para determinar a localização exata do arquivo.

    Transferido o arquivo, cabe também ao usuário achar a maneira apropriada para ter acesso ao seu conteúdo. Muitos estão comprimidos e necessitam do software apropriado para descompressão. Imagens, textos e sons são armazenados de diversas formas, requerendo muitas vezes o uso de programas específicos.

    • 8.3.1 Archie Archie é um serviço de informações que facilita a busca e recuperação de documentos distribuídos na rede e acessíveis via FTP anônimo. Para tanto, archie mantém um índice atualizado dos nomes de arquivos e diretórios acessíveis na rede através de FTP anônimo. Além do arquivo de índices, archie mantém uma base de dados com descrições de software de domínio público e outros documentos disponíveis em rede.

      A consulta pode ser feita em modo interativo, usando telnet, ou em modo não-interativo, usando correio eletrônico, e deve ser dirigida a um dos servidores archie disponíveis na Internet (preferencialmente o mais próximo do usuário). Portanto, para usar o Archie é necessário ter acesso a um desses serviços.

    8.4 Ferramentas de Busca de Informações

    • 8.4.1 Gopher É uma ferramenta baseada em menus hierárquicos que possibilita ao usuário buscar e recuperar informações distribuídas por diversos computadores da rede. Com o Gopher, o usuário tem acesso tanto a informações armazenadas localmente, como àquelas armazenadas em qualquer outro computador da rede que aceite esse serviço.

      A seleção da informação a ser recuperada é feita através de uma interface padrão na forma de menus estruturados, tal como uma árvore de diretórios, subdiretórios e arquivos.

      Através do Gopher, é possível ter acesso a arquivos (texto, dados, imagens, sons, programas) e também a outros serviços, incluindo aqueles básicos da rede, tais como: telnet e FTP, e outras ferramentas de informação, tais como: WWW, WAIS e ARCHIE.

      Para usar esta ferramenta é preciso instalar um programa cliente Gopher no seu microcomputador ou estação de trabalho, ou ter acesso via telnet a um mainframe onde isto tenha sido feito.

      8.4.2 Veronica Veronica é um serviço de informações que facilita a busca e recuperação de documentos distribuídos na rede e acessíveis via Gopher. Ao invés da busca individual baseada em menus dos servidores Gopher, o usuário de Veronica obtém, numa única interação, o resultado da sua pesquisa efetuada em todos os servidores Gopher disponíveis na rede.

      Esta ferramenta permite o acesso direto aos itens de menu que contém a palavra-chave indicada pelo usuário no momento em que efetuou a consulta. Vale lembrar que, assim como o Gopher, Veronica opera somente em títulos e itens do menu, e não sobre o conteúdo dos documentos.

      Esta mesma forma que Archie executa busca no conjunto dos documentos acessíveis via FTP, o Veronica funciona para o conjunto de documentos acessíveis via Gopher.

      8.4.3 WWW (Worid Wide Web, ou simplesmente Web) É um serviço baseado em hipertextos que permite ao usuário buscar e recuperar informações distribuídas por diversos computadores da rede. A seleção de informações é feita com base no conceito de hipertexto (um texto cujas palavras contém ligações subjacentes com outros textos, o que forma possível leituras diversas, não-lineares).

      O usuário pode selecionar uma das palavras que aparece assinalada na tela. Ao fazer isso, ele terá acesso ao documento associado ao termo escolhido. Esse processo pode se repetir com o usuário selecionando novamente um termo assinalado de seu interesse no documento recuperado. Ou seja, o acesso às informações disponíveis no WWW é obtido na medida em que o usuário assinala, em um dado documento, termos relevantes para a sua busca.

      De modo geral, documentos estruturados como hipertextos são interligados através de um conjunto de termos pré-selecionados pelo autor do hipertexto. A associação entre um termo e um documento depende do interesse do autor e pode ter objetivos diversos, tais como: explicar ou detalhar um conceito, definir um termo, ilustrar um fato, expandir urna sigla, apresentar urna informação correlata. O documento associado não precisa ser necessariamente um texto; ele também pode conter outros tipos de informação, tais como imagens, gráficos e sons.

      Os documentos não precisam estar armazenados em um único computador, podendo estar distribuídos pelos diferentes computadores da rede que suportam esse serviço. O WWW torna irrelevante para o usuário a localização física dos documentos recuperados. Além disso, a maioria dos clientes WWW (Mosaic, Netscape) seleciona e ativa automaticamente os programas necessários (viewers) para a visualização do arquivo transferido, seja ele som, imagem, texto ou programa compactado.

      Embora a grande popularidade do WWW seja a possibilidade de usar recursos multimídia através da rede, existem clientes que permitem usar terminais sem recursos gráficos (ex. VT100 e DOS). O mais comum entre eles é o Lynx.