Make your own free website on Tripod.com
   

A REDE NACIONAL DE PESQUISA E A INTERNET ACADÊMICA

A RNP(Rede Nacional de Pesquisa) é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) cujo objetivo é implantar uma moderna infra-estrutura de serviços Internet, com abrangência nacional. Até abril de 1995, a atuação da RNP se restringia a áreas de interesse da comunidade de educação e pesquisa do País.

Lançada oficialmente em 1990, a RNP contou com o apoio das Fundações de Pesquisa dos Estados de São Paulo (Fapesp), Rio de Janeiro (Faperj) e Rio Grande do Sul (Fapergs) e tem sido executada sob a coordenação política e orçamentária do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A iniciativa concluiu ao longo de 1992/1993:

  • a implantação de uma espinha dorsal de comunicação, cobrindo a maior parte do país, a velocidades mínimas de 9.600 bits por segundo (bps);
  • implantação de um conjunto de aplicações em diversas áreas de especialização;
  • e a execução de atividades de planejamento para o período 1994/1995, em que se espera lograr a efetiva consolidação da rede.

A presença da RNP nos Estados foi concebida como resultante da implantação de um conjunto de conexões interestaduais, interligando inicialmente onze Estados, com pontos-de-presença em cada capital. Essa arquitetura de linhas de comunicações e equipamentos compõem o que se denomina espinha dorsal (backbone) da RNP.

Os seguintes Estados têm ponto-de-presença oficial da RNP ou um ponto de acesso operado por alguma instituição local e aberto à comunidade de educação e pesquisa na região: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina. São Paulo e Tocantins.

As instituições presentemente conectadas à RNP ou redes estaduais são voltadas para educação, pesquisa ou gestão governamental. Cerca de 400 instituições de ensino e pesquisa do País estão ligadas em rede, incluindo a maioria das universidades e institutos de pesquisas governamentais. A partir dessa infra-estrutura, as instituições interessadas poderão, no futuro, implantar suas redes de serviços para atender a grupos de interesse específicos dentro da comunidade de educação e pesquisa.

Segundo as estimativas mais recentes, mais de 10.000 hosts estão interligados em rede no Brasil. Adotada a premissa de que cada host seja utilizado por seis usuários, o número total de usuários ativos hoje é estimado em 60 mil, primariamente para uso acadêmico.

A partir de abril de 95, quando o Ministério das Comunicações e o Ministério da Ciência e Tecnologia decidiram lançar um esforço comum de implantação de uma rede Internet global e integrada, abrangendo todo tipo de uso, surgiram as bases político/estratégicas da Internet/Brasil.

Nesse novo cenário, a RNP foi chamada a cumprir nova missão, compreendendo:

  1. concepção e a implantação de um modelo de serviços INTERNET no Brasil que assegure, em regime: cobertura nacional e ampla capilaridade, vasta gama de aplicações, e baixo custo para o usuário final,com papel prioritário reservado à iniciativa privada.
  2. a operação de um backbone nacional de uso misto (comercial e acadêmico), resultante da expansão e reconfiguração do backbone atual de uso puramente acadêmico.
  3. a operação (continuada) de serviços de alocação de endereços IP e de registro de domínios.
  4. a aderência de todas as iniciativas de redes no país a padrões gerais de engenharia, interconexão, segurança, etc;
  5. e a coleta e disseminação de informações sobre Internet no Brasil.